Impacção dos primeiros molares permanentes.


Atenção papais e mamães!

Um problema que ocorre com uma certa freqüência na infância é a impacção dos primeiros molares permanentes na distal (atrás) dos segundos molares "de leite". Acontece na época em que os primeiros molares permanentes estão irrompendo na cavidade bucal; ou seja: por volta dos 5-6 anos de idade.

Normalmente, este é o primeiro dente permanente a irromper e não "cai" nenhum dentinho de leite para que ele "nasça". Ele vai aparecer atrás do último dente que já está na boca. Por isso, muitos não percebem sua irrupção, nem os pais, nem a criança. Muito menos percebem que pode haver algum problema neste processo.

Quando ocorre a impacção do primeiro molar permanente este começa a reabsorver parte da raiz do segundo molar decíduo. Se nada for feito, este dente acaba esfoliando (caindo) e o primeiro molar permanente irrompe na cavidade bucal "atrasado" e ocupando o espaço do segundo pré-molar (que viria ocupar o lugar do segundo molar de leite mais tarde). Ao final, faltará espaço para que o segundo pré-molar irrompa normalmente e na época adequada. Além disso, o primeiro molar permanente acaba irrompendo mais "para frente" do que deveria, causando problemas oclusais em relação ao arco antagonista e fazendo com que o segundo molar, que vem logo atrás dele, também fique mal posicionado.

Por este motivo, os pais devem estar atentos para o desenvolvimento e troca de dentes desde a primeira infância.

O acompanhamento profissional especializado é importante. Quando diagnosticada precocemente, a impacção do primeiro molar permanente pode ser corrigida antes de causar maiores danos ao segundo molar decíduo e à dentição como um todo.

Fiquem atentos!

#Ortodontiaemcrianças #OrtodontiaPreventiva #Aparelhosemcrianças #OrtodontiaInterceptativa

185 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo